sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vacila

Como decai o homem de um dia para o outro. Em certo tempo está vigoroso, de voz potente e sorriso sarcástico. Depois vem vacilante, com uma típica impaciência de quem não traz o corpo bem aprumado, as articulações suficientemente flexíveis. A visão também não obedece, “preenche o cheque para mim?” Vai pela vida nessa cantinela dos negócios, das vendas e trocas financeiras, assina quantos mil papéis monetários; continua a assinar, pois não se desgruda da sua identidade bancária, utilitária. Não se desgruda das suas parafernálias de viver enquanto ser de valores arbitrários, abstratos, mas de uma realidade interior sólida que só esboroa no instante de morte das partes; a matéria que se desfaz. Até um dia paralisar de vez, cegar de vez...

6 comentários:

Sandro Ferreira da Silva disse...

Olá! Tudo bem? Meu nome é Sandro. Sou do Rio Grande do Sul. Sou um grande apaixonado por Literatura e estou sempre procurando algo novo pra ler. De repente encontrei teu blog e me encantei com ele.
Olha que eu gosto muito de escrever, e estava montando um livro com contos e poemas. Mas depois que li teu blog todo, de cabo a rabo, bah... fiquei até sem jeito! Ainda estou muito imaturo.
É muito bom de ler o que escreves. Um grande abraço.

Eliéser Baco disse...

muito bom.
o homem vacilante se perde de seu eu, torna-se o que o senso comum prefere. um norte sem porto, a vacilar mais e mais.

Keila Costa disse...

Oi Sandro! Bom saber que gostou dos dos 'meus escritos'. A literatura é mesmo um exercício permanente de amadurecimento... Além disso, o que ainda não foi dito? Resta-nos tentar dizer de outra forma, resguardando a inteligibilidade e a graça...chamam estilo...será nosso mesmo? Somos essa variedade de retalhos...Adorei o bah! Abraço procê!

Sandro Ferreira da Silva disse...

E adorei o procê! Muito obrigado pela visita ao meu blog. Está um pouco bagunçado ainda, mas vou dar uma ajeitada. Seja sempre bem vinda. Um grande abraço.

Malu disse...

Temos que ter muitas responsabilidades perante nossa VIDA.
Mas podemos optar por gostar dos vacilos.
Há muitos que adoram vacilar, dizem que se sentem mais fortes diante do imprevisto e das emoções que a vacilagem oferece, mais aí vai de cada um.
Abraços

Vestit Novias disse...

Eu ia dizer algo, mas o Elizer já disse tudo.
Estou seguindo.
Bjoss