segunda-feira, 7 de abril de 2008

Métrica metroviária

Não é uma janela qualquer,
É uma multiplicada,
Aberta para um pedaço de mundo generoso ‘escaposo’,
É abertura andante por sobre os trilhos,
De imagens multiplicadas,
Andantes ao passar dos olhos;
Ficando diminutas,
Se agigantando,
Feito a vida,
Pequeninas, grandes, pequeninas,
Sumindo, aparecendo, sumindo....

Um comentário:

Bernardo disse...

Eu postei uma ressalva...não me deram o direito. Retorno. Insisto. Que não me importunem os chatos do "deixa disso".

Queria era mesmo dizer da poesia. A coisa já nem me lembro. Passou. Virou dezembro. Mas era coisa boa. Pq outra coisa nesse blog não cabia.