quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fundo

Amor é sentimento fundo
De tão fundo perde o fundo
Amor não tem fundamento
Ainda que fundamentado
Em argumentos falhos
Argumentos imprecisos
Amor é coisa de se admirar
E angustiar no dia
À espera da noite
Amor é céu noturno em constelação
Às vezes tem cara de lusco fusco
Confuso amor
Só certeza de fazer existir
Existir pelo amor
Em lembrar que volta toda hora
Grudado no sem fundo
Subterrâneo amor

4 comentários:

Adriano Ferreira, CM disse...

nao existe amor se nao houver profundidade. amor é além das aparencias. subsolo. raiz. está mais dentro do que fora. talvez por isso a gente entenda tão pouco dele.

Maria disse...

amor é?

sei lá, tem hora que eu me pergunto tanto isso. e não é nem por falta de fé não, mas algo que quando acaba vira nada um dia já foi?

tô viajando...

Paulo disse...

a certeza de (se) existir... pelo amor. Excelente poema em prosa, Keila.
Beijos

Nina Blue disse...

Amor, prato cheio de certezas e incertezas, mesmo que sim, mesmo que não. Alguem para duvidar?
Lindo poema-amor.