quinta-feira, 29 de abril de 2010

Outro ele

Até hoje sinto falta do Zé Leôncio. Ele era bravo feito onça, mas vez por outra vinha de manso, cheio de delicadezas, todo mudado do jeito comum de todo dia. Tem gente que é assim mesmo, de humor confuso; alguns até se fingem de resolvidos na maneira de ser e aí vem um sentimento qualquer que vira tudo e a pessoa fica assim incompreendida no susto refletido nos olhos dos outros. Mas entre mim e Zé Leôncio não; ele mudava e sabia que eu sabia disso, que eu gostava era dessas horas de ternura desavisada, rara gentileza que deixa a gente de coração e respirar em disparo, um susto, até vir aquele encanto de contemplar lago em dia ameno, de sol quase tímido, mas brilhante, de sensação de aconchego. Ele chegava assim num toque de face, de mão, quase um arranhar felino sem querer machucar, e não raras vezes ronronava no seu dormir em meu peito. Depois acordava assustado como bicho em armadilha, frágil de dormir assim e deixar sua vigília de lado, esquecida. Zé Leôncio dizia que eu fazia reviravolta nele, e que ele assim era mais ele, mas deixava de ser onça brava não, que só por mim virava bichinho pequeno, presa de mim, descobridor do outro ele, muito mais ele.

4 comentários:

Sara_Evil disse...

Ola Keila gosto muito dos seus textos e gostaria de te convidar para participar do nosso novo blog
http://pessoasatoa.blogspot.com , cas te interesse enter em contato conosco pelo email do blog>
pessoas.a.toa@gmail.com

Grato!

Ricardo Fabião disse...

Olá, Keila...
estou passando aqui para lhe dizer que seu blogue está entre os meus 15 escolhidos ao Prêmio Dardos.
Todas as especificações sobre o prêmio está na última postagem do meu blog:

http://curvasdapalavra.blogspot.com/2010/05/premio-dardos.html

Passe lá para conferir.

Beijos.
Ricardo.

Narayana Febril. disse...

K., andei dando uma lida em seus textos. Gostei muito. Tenho muitos eus, e todos eles são muito eu! Quasesempre indico um filme, um livro, ou um blogueiro(...)estava sem novidades, então você surgiu!

icendul disse...

que surpresa, keila:)

deixaste-me a sorrir deste lado do atlântico:)

de um encontro aleatório (?) surge uma sintonia.

não tenho conseguido consagrar muito tempo à blogosfera, mas volto com a calma devida e, entretanto, vamos comunicando.

pelo relance relâmpago da minha entrada aqui, digo já que foste um bom porto de leitura, mas ainda passarei para te ler com mais tempo.

és sempre bem-vinda!;)