terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Lobo Judas

Oi?
Por que me olha assim desse jeito?
Desse jeito benevolente?
De olhos semi cerrados?
Por que esse olhar de compadecimento?
E essa calma?
E essas mãos eternamente ocupadas?
Uma bíblia e um cajado nas mãos?
Por que insiste?
E eu?
Por que o olho assim curioso?
E não consigo sentir conforto?
Por que voltou?
Saiu do santinho?
Incorporou a imagem?
Por que essa delicada forma?
Essas vestes verdes de esperança?
Esse manto vermelho contundente?
E esses cabelos que lhe caem na face?
Feito véu, feito chuva mansa?
E essas barbas lisas?
Entristecendo os limites do lábio?
A inibir o sorriso pleno de boca e dentes?
Ou o encolhimento de tristeza?
Por que insisto em mantê-lo aqui?
Diante de mim?
Se não creio com fervor?
Se me confundo na expectativa do existir?
Para que serve essa sua base sólida?
Esses membros ocupados?
Realizados?
Enquanto minhas mãos estão soltas?
Por que não me responde?
Por que me obriga a retornar a pergunta?
A mim mesmo?
Eu que não tenho respostas?

Um comentário:

Cesar Oliveira disse...

E cada vez melhor te ver...ler!