quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Varais

Quantas roupas estendidas
Devassadas pelo tempo
Pelos arroubos loucos
Roçar de corpos
Quantas cores vivas
Cinzentas
Quantas rusgas de mãos
Entremeadas nos panos
Almas em imersão desinfetante
Quarar, quarar...
Quantos sentimentos
Dependurados
Nos varais suspensos do coração...

2 comentários:

Curto-Circuito [No twitter: leocoelho] disse...

hehe, gostei muito deste Keilota. Falta só a camisa atleticana pendurada no varal, a torcida torcendo contra o vento... rs, brincadeira.

Bjo
leo Coelho

Viviane disse...

Tb gostei...tive o sentimento de mãos sofridas da árdua labuta do início...e ao fim...o sentimento ... tudo q está pendurado em nossos corações!!