quarta-feira, 18 de março de 2009

(In)condicionado

Debaixo do ar condicionado
O menino se deliciava
Fugia do mormaço
Do ritmo fervente
Do funk da boate
Fazia a sua dança
Sob a brisa condicionada

Debaixo do ar condicionado
O menino escapava
E olhava
Quem o aprouvesse
Um par
Uma dança sob o ar
Sob a brisa condicionada

Debaixo do ar condicionado
O menino sorria
Balançava
Compartilhava a brisa
E interpelava alguém
E procurava alguém
E sonhava alguém
Sob a brisa condicionada


Debaixo do ar condicionado
Não tinha condição
Senão o a brisa condicionada
E a leve sensação
Do afeto incondicionado
Sob a brisa condicionada

Um comentário:

Leo Cabo Frio disse...

nossa...d+ eim..q dia vo pode te agradece? me liga! bjo