terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Pelas narinas

Eu não sabia que sonho tinha cheiro. Descobri outro dia desses quando cochilava no sofá, depois de um dia de trabalho. As imagens oníricas eram comuns; três pessoas conversavam e entre elas eu. De repente senti um cheiro de carne assada, daquelas recheadas com baycon e legumes. As imagens se apagaram de súbito e iniciaram-se aqueles movimentos rítmicos de inspiração profunda, e quase nenhuma expiração, na tentativa de aprisionar o cheiro. Acordei acreditando naqueles vapores sedutores da cozinha de minha infância, mas eles não estavam mais lá. Passei o resto da noite encabulada com aquele sonho cheiroso.

5 comentários:

Viviane disse...

Os cheiros nos remetem aos sonhos...
Pelas narinas entram tantas lembranças...cada perfume da vida...uma lembrança...um sonho!

Anônimo disse...

Keila, que coisa mais engraçada. essa noite sonhei com você, que a gente se cruzou num lugar que parecia uma estação, assim, de passagem. no lugar tinha uma esposição de coisas antigas... abro o email e tem o seu divulgando o blog. e olha o tempo que a gente não se fala e nem se vê. entro, e o primeiro texto é sobre sonhos... ah, não podia deixar de compartilhar! sucesso com o blog, e um beijo enorme! tomara que a gente se cruze de verdade qualquer dia.

Ana Paula (da Oficina!)

Rodrigo Grande Pereira disse...

Mais ou menos o que aconteceu com "Ego" quando experimentou o "Ratatouille" no filme homônimo.

Silvinha.. disse...

Keila querida, ótima idéia de divulgar seus textos. E o que mais gosto neles são dos detalhes. Leitura gostosa, que nos remete a bons momentos e lembranças do que quase se perdera na correria do dia a dia. Beijos!!!

Bernardo disse...

ah sim o cheiro dos sonhos ou seriam o cheiro nos sonhos...não sabemos bem, e quanto menos sabemos maior o interesse sobre essas divagações...